30 agosto 2009

Ouro-preto

Origem

Enquanto as descobertas de ouro nos córregos continuavam no sertão, elevando nomes como o de Antônio Dias de Oliveira,Bartolomeu Bueno de Siqueira, Carlos Pedroso da Silveira e entre outros, apareciam bandeiras e gente vinda já da Bahia ePernambuco, acendendo ambições de além-mar, seguindo na trilha das outras e outras porém com rumo certo, procurando ora o rio das Velhas (cuja tradição ficou entre os Paulistas, que haviam acompanhado a bandeira de Fernão Dias Pais e de D. Rodrigo de Castelo-Branco), ora o Tripuí, onde já se havia encontrado o afamado Ouro Preto, balizado pelo cabeço enevoado do pico do Itacolomi, que começavam a avistar logo transposto o Itatiaia. Orientados pelos picos que eriçam as serras de Ouro Branco, Itatiaia, Ouro Preto, Itacolomi, Cachoeira, os habitantes seguiam juntos ou separados, Casa Branca , Ribeirão do Carmo, etc.

Diz Antonil que da mina da serra do Itatiaia, a saber do ouro branco, que assim chamavam ao ouro ainda não bem formado, distante do ribeiro do Ouro Preto oito dias de caminho moderado até o jantar, não faziam caso os Pauistas caso por terem as outras de ouro formado e muito melhor rendimento».

Segundo José Rebelo Perdigão, secretário do Governador Artur de Sá e Menezes, em 1695 e 1696 teria sido descoberto nesta montanha um ribeiro aurifero ao qual se deu mais tarde o nome de Gualacho do Sul, mas que os Paulistas desta bandeira de Miguel Garcia se recusaram a dividir a jazida com seu companheiros de Taubaté os quais, se tendo então separado, tomaram marcha para o interior e descobriram o ribeiro de Ouro Preto. Dos córregos e morros de Ouro Preto, ainda hoje chamados o Passadez, Bom Sucesso, Ouro Fino, Ouro Bueno, foram descobridores Antônio Dias, de Taubaté, o Padre João de Faria Fialho, Tomás Lopes de Camargo, primo do descobridor do Itaverava Bartolomeu Bueno de Siqueira. As terras ali eram de tal modo requestadas que por acudir muita gente, só pode tocar três braças em quadra a cada minerador, segundo o historiador Varnhagen. Nomes como Brumado,Sumidouro, rio Pardo, Guarapiranga, rio das Mortes, Aiuruoca apareceram na geografia mineira, trazidos por Camargos e Pires, Pedrosos, Alvarengas, Godois, Cabrais, Cardosos, Lemes, Pais, Guerras, Toledos, Furtados, como no canto VI de Vila Rica, o poema.

Localização de Ouro Preto

Período imperial

Ouro Preto em 1870.

Em 1823, após a Independência do Brasil, Vila Rica recebeu o título de Imperial Cidade, conferido por D. Pedro I do Brasil, tornando-se oficialmente capital da então província das Minas Gerais e passando a ser designada como Imperial Cidade de Ouro Preto. Em 1839 foi fundada a Escola de Farmácia, tida como a primeira escola de farmácia da América do Sul.

Em 12 de outubro de 1876, a pedido de D. Pedro II do Brasil, Claude Henri Gorceix fundou a Escola de Minas em Ouro Preto. Esta foi a primeira escola de estudos mineralógicos, geológicos e metalúrgicos do Brasil, que hoje é uma das principais instituições de engenharia do País. Assim era descrita a cidade de Ouro Preto pelo ilustre fundador da Escola de Minas, em relatório enviado ao Imperador Dom Pedro II: "Em muito pequena extensão de terreno pode-se acompanhar a série quase completa das rochas metamórficas que constituem grande parte do território brasileiro e todos os arredores da cidade se prestam a excursões mineralógicas proveitosas e interessantes."(Claude Henri Gorceix)

Vista de Ouro Preto

Economia

Apesar de atualmente a economia de Ouro Preto depender muito do turismo, há também importantes indústrias metalurgia metalúrgicas e de mineração no município, tais como a Alcan - Alumínio do Brasil (a mais importante fábrica de alumínio do país), a Companhia Vale do Rio Doce, e outras. As principais atividades econômicas são o turismo, a indústria de transformação e as reservas minerais do seu subsolo, tais como ferro, bauxita, manganês, talco e mármore.

Os minerais de importância são o ouro, a hematita, a dolomita, turmalina, pirita, muscovita, topázio e topázio imperial, esta última apenas encontrada em Ouro Preto.

Uma outra importante fonte de recursos para o município são os estudantes da UFOP, oriundos principalmente da região sudeste do Brasil.

Turismo

Apesar de ter a a maior parte do intenso fluxo turístico focado na arquitetura e importância histórica, o município possui um rico e variado ecossistema em seu entorno, com cachoeiras, trilhas seculares e uma enorme área de mata nativa, que teve a felicidade de ser protegida com a criação de Parques Estaduais. O mais recente destes situa-se próximo ao distrito de São Bartolomeu (Ouro Preto) |São Bartolomeu.

Ouro Preto também se destaca pela atividade cultural. Todos os anos, sedia o Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana - Fórum das Artes

Clima

Clima: Tropical de altitude Úmido, característico das regiões montanhosas com chuvas durante os meses de dezembro a março, geadas raras em junho e julho.

Temperatura:

Os atrativos são os blocos da cidade, outro destaque é o tradicional desfile das Escolas de Samba. Os foliões contam com uma ampla estrutura para a festa com postos de informações nas entradas da cidade, postos de saúde em locais estratégicos e grande aparato de segurança. O Carnaval de Ouro Preto é um dos mais concorridos do país, atraindo anualmente milhares de foliões para as ladeiras da cidade. Para 2009, a Prefeitura de Ouro Preto definiu na última semana a programação do carnaval, buscando aliar boa estrutura e diversos pontos de atrações.

Como em anos anteriores, os palcos serão montados em diferentes locais da cidade, atendendo a todos os tipos de foliões. A Praça Tiradentes, Largo do Cinema, Estacionamento da Escola D. Pedro II e Largo da Alegria, além do Espaço Folia, localizado no Estacionamento do Centro de Convenções da Ufop, que conta com apresentações musicais de nível nacional, serão os Pontos de Folia.

Várias atrações se apresentarão em toda a cidade, inclusive nos distritos. Nos 5 dias de festa serão realizados shows em Cachoeira do Campo, Antônio Pereira e Santa Rita de Ouro Preto. Amarantina, Rodrigo Silva e Santo Antrônio do Salto serão animados com som mecânico.

A festa começa com a realização do Pré-Carnaval, entre os dias 13 e 15 de fevereiro, na Barra. A festa será animada por bandas locais e será o aquecimento para o Carnaval. Na quinta-feira, dia 18, a festa começa com o desfile de blocos tradicionais no Centro Histórico e show no Espaço Folia, com portões abertos. Nos outros dias da festa, será necessário adquirir o pacote para os shows do Espaço Folia.

Durante o dia, os atrativos serão os tradicionais blocos da cidade e os blocos das repúblicas estudantis, sempre animados e com grandes atrações. Outro destaque do carnaval em Ouro Preto é o tradicional desfile das Escolas de Samba, atração especial da noite de segunda-feira. Juntamente com outras atrações como o Grupo Candonguêro e o Bloco do Zé Pereira dos Lacaios, as Escolas de Samba garantem a presença do carnaval tradicional da cidade.

Os 30 mil foliões esperados diariamente em Ouro Preto durante o carnaval contarão com uma ampla estrutura para a festa com postos de informações distribuídos pelas entradas da cidade, postos de saúde nos principais pontos de folia e grande aparato de segurança para a realização da festa mais popular do país.

A Prefeitura de Ouro Preto espera mais uma vez realizar uma grande festa para os foliões. O Carnaval de Ouro Preto já é um dos maiores do país, e a cidade está de braços e portas abertas para receber a todos.



Carnaval de Ouro Preto uma festa maravilhosa e popular
festival de jazz em ouro preto
Festival Tudo É Jazz ocorre de 18 a 20 de setembro de 2009 em Ouro Preto. Todos os eventos serão gratuitos e no Largo do Rosário






Museus

Museu de Arte Sacra de Ouro Preto
Inaugurado em maio de 2000, o museu conta com um acervo de 400 peças feitas dos séculos XVII a XIX. São imagens, banquetas, documentos e até vestimentas que, dividas em oito vitrines temáticas, recontam a história da antiga Vila Rica.

Localização: Igreja Matriz de Nossa Senhora do Pilar
Ingresso: R$ 3,00 (meia entrada para estudantes) - válido também para Igreja do Pilar e Igreja São Francisco de Paula

Visitação: terça-feria a domingo, das 9h às 10h45 e 12h às 16h45


Museu da Inconfidência
Inaugurado em 1944, ano do bicentenário de nascimento do poeta Tomás Antônio Gonzaga, reúne documentos e objetos que evocam a Inconfidência Mineira e obras diversas do patrimônio histórico e artístico de Minas Gerais. Obras do Aleijadinho estão reunidas em uma sala especial.
Localização: Praça Tiradentes, 139 - Centro
Telefone: (31) 3551-1121
Ingresso: R$ 5,00 (meia entrada para estudantes)

Visitação: terça a domingo, das 12h às 17h30m

Casa dos Contos
Um dos mais belos exemplares da arquitetura civil do período colonial. Possui salas de exposição permanente com mobiliário e objetos dos séculos XVIII e XIX, documentos manuscritos e mostra numismática. Hoje abriga o Centro de Estudos do Ciclo do Ouro e a Agência da Receita Federal.
Localização: Rua São José, 12 - Centro - (31) 3551-1444
Ingresso: R$ 1,00 (desconto para grupos)

Visitação: terça a sábado, das 12h30m às 17h30m; domingo e feriado, 8h30m às 13h30m

Museu de Mineralogia
O museu foi montado a partir de 1877 com minerais trazidos pelo francês Henri Gorceix, fundador da Escola de Minas e Metalurgia de Ouro Preto. O acervo reúne mais de 20 mil amostras do mundo inteiro. Em 1984, sala especial foi organizada sob moderna concepção museológica.
Localização: Praça Tiradentes, 20 - Centro
Telefone: (31) 3551-1530
Ingresso: R$ 4,00 (meia entrada para estudantes)

Visitação: segunda a sexta-feira, das 12h às 17h; sábado, domingo e feriado, 9h às 13h

Museu das Reduções
Quatro irmãos, inspirados nos museus de Haya, na Holanda, e de Londres, na Inglaterra, criaram o museu confeccionando réplicas reduzidas dos principais monumentos históricos nacionais com o mesmo material empregado na construção dos edifícios originais.
Localização: Rua A, 131 - (31) 3553-5183 - Amarantina
Visitação: quarta a segunda-feira, das 9h às 17h30
Home Page: www.museudasreducoes.cjb.net

Museu Casa Guignard
Inaugurado em 1987, reúne mostra significativa da obra do pintor modernista Alberto da Veiga Guignard, que viveu em Ouro Preto entre 1961 e 1962. Apaixonado pela antiga Vila Rica, deixou várias obras que mesclam a habilidade de seu traço ao lirismo da paisagem mineira.

Localização: Rua Conde de Bobadela, 110 - Centro
Visitação: terça a sexta, das 10h às 12h e 13h às 18h; sábado, domingo e feriado, 9h às 15h

Museu do Aleijadinho
Instalado na sacristia da Matriz de Nossa Senhora da Conceição de Antônio Dias, reúne obras do maior escultor brasileiro do período barroco - Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho.

Localização: Matriz de Nossa Senhora da Conceição de Antônio Dias (sacristão)
Ingresso: R$ 3,00 (meia entrada para estudantes) - válido também para Matriz de Antônio Dias e Igreja São Francisco de Assis

Visitação: terça a domingo, das 8h às 11h45 e 13h30 às 16h45

Museu do Oratório
O acervo de oratórios da colecionadora Ângela Gutierrez é uma mostragem da fé brasileira, e especialmente mineira, inserida no cotidiano dos anos setecentos e oitocentos, numa tentativa de amoldar a beleza estética aos usos e costumes da época da formação de uma sociedade tipicamente religiosa.
Localização: Antiga casa do Noviciado na Igreja de Nossa Senhora do Carmo.
Ingresso: R$ 2,00 (meia entrada para estudantes)

Home Page: www.oratorio.com.br

Farmácia Magalhães

Réplica de uma farmácia típica do século XIX, possui belos frascos, porcelanas e antigos equipamentos farmacêuticos.

Localização: Rua Costa Sena, 171 - Centro
Telefone: (31) 3559-1663, ramal 236

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget