Crônicas para a evolução!

O Mulherão
Martha Medeiros por publicação no jornal Globo.


Peça para um homem descrever um mulherão.Ele imediatamente vai falar do tamanho dos seios,na medida da cintura,no volume dos lábios,nas pernas,bumbum e cor dos olhos.Ou vai dizer que mulherão tem que ser loira,1,80m,siliconada,sorriso colgate.Mulherões,dentro deste conceito,não existem muitas:Vera Fischer,Leticia Spiller,Malu Mader,Adriane Galisteu,Lumas e Brunas.Agora pergunte para uma mulher o que ela considera um mulherão e você vai descobrir que tem uma a cada esquina.

Mulherão é aquela que pega dois ônibus por dia para ir ao trabalho e mais dois para voltar,e quando chega em casa encontra um tanque lotado de roupa e uma família morta de fome.Mulherão é aquela que vai de madrugada para a fila garantir matricula na escola e aquela aposentada que passa horas em pé na fila do banco para buscar uma pensão de 100 Reais.
Mulherão é a empresária que administra dezenas de funcionários de segunda a sexta, e uma família todos os dias da semana.Mulherão é quem volta do supermercado segurando várias sacolas depois de ter pesquisado preços e feito malabarismo com o orçamento.Mulherão é aquela que se depila, que passa cremes, que se maqui
a, que faz dieta,que malha,que usa salto alto, meia-calça,ajeita o cabelo e se perfuma,mesmo sem nenhum convite para ser capa de revista.Mulherão é quem leva os filhos na escola,busca os filhos na escola,leva os filhos para a natação,busca os filhos na natação,leva os filhos para a cama,conta histórias,dá um beijo e apaga a luz.Mulherão é aquela mãe de adolescente que não dorme enquanto ele não chega, e que de manhã bem cedo já está de pé, esquentando o leite. 
Mulherão é quem leciona em troca de um salário mínimo,é quem faz serviços voluntários,é quem colhe uva,é quem opera pacientes,é quem lava roupa pra fora,é quem bota a mesa,cozinha o feijão e à tarde trabalha atrás de um balcão.Mulherão é quem cria filhos sozinha, quem dá expediente de oito horas e enfrenta menopausa,TPM,menstruação.Mulherão é quem arruma os armários, coloca flores nos vasos,fecha a cortina para o sol não desbotar os móveis, mantém a geladeira cheia e os cinzeiros vazios.Mulherão é quem sabe onde cada coisa está, o que cada filho sente e qual o melhor remédio pra azia.




E como se não bastasse um texto interessante, tem mais um do sexo oposto.


O HOMÃO

Martha Medeiros

Alguns anos atrás, escrevi um texto chamado O Mulherão para o Dia Internacional da Mulher. Fez um razoável sucesso, tanto que até hoje esse texto é lido e publicado em diversos veículos de comunicação quando chega março.

Pois cá estamos, novamente, na vizinhança desta data comemorativa, e desta vez minha homenagem vai para o homão, aquele que não tem dia algum no calendário para valorizar seus esforços.

Homão é aquele que tem assistido a ascensão feminina nas empresas, na política, na arte, no esporte e tem achado tudo mais do que justo. Nunca li um artigo de um homem reclamando por as mulheres estarem dominando o mundo (não acredito que escrevi isso!). Ao contrário: os inteligentes (e todo homão é inteligente) estão tendo muito prazer em compartilhar seus gabinetes conosco e não choram pelos cantos caso tenham uma chefe mulher (homão chora, mas chora por amor, não por motivos toscos).

Homão gosta de mulher. Parece óbvio, mas há muitos homens (não homões) que só gostam de mulher para cama, mesa e banho. O homão gosta de mulher para cama, mesa, banho, escritório, livraria, cinema, restaurante, sala de parto, beira de praia, estrada, museu, palco, estádio. E, às vezes, pode nem gostar delas pra cama, mesa e banho, e ainda assim continuar um homão.

Homão é aquele que encara parque no final de semana, faz um jantar delicioso, dá conselho, pede conselho, trabalha até tarde da noite, compensa no outro dia buscando os filhos na escola, dirige o carro, em outras vezes é co-piloto, não acha ruim ela ganhar mais do que ele, não acha nada ruim quando ela propõe uma noitada das arábias, recebe amor, dá amor, é bom de contabilidade e sabe direitinho o que significa fifty-fifty.

Homão é aquele que compreende que TPM não é frescura e que reconhece que filhos geralmente sobrecarregam mais as mães do que os pais, então eles correm atrás do prejuízo, aliviando nossa carga com prazer. Homão acha um porre discutir a relação, mas discute. Homão não concorda com tudo o que a gente diz e faz, senão não seria um homão, e sim um panaca, mas escuta, argumenta e acrescenta idéias novas. Homão não fica dizendo que no tempo do pai dele é que era bom, o pai mandava e a mãe obedecia. Homão reconhece as vantagens de estar interagindo com seres do mesmo calibre e não depende de uma arma ou de um carro ultrapotente para provar que é um homão. O homão sabe que não há nada como ter uma grande mulher a seu lado.






Noite feliz

Danuza Leão/ Via  CLAUDIA Colunistas


Aperte os cintos: foi dada a partida para a temporada de festas de fi m de ano. E você, já tomou alguma providência para o Natal? Já sabe onde vai passar o seu? Os casamentos foram vários e, com filhos de alguns maridos (sendo que eles já vieram com filhos de outros tantos casamentos), reunir a família virou tarefa impossível. E ter que arrumar presente para o meio-irmão de seu filho, com o qual você não tem nada a ver, é justo? Esses são problemas do mundo moderno, absolutamente corriqueiros e sem solução.
Mas tem ainda pior: é quando os filhos já cresceram, estão no segundo casamento e tiveram filhos com as duas mulheres, que também vinham de outros relacionamentos e traziam as respectivas crianças. Ah, assim não dá para organizar. E você, mãe ou avó dessa família tão maravilhosa e tão moderna, pode me dizer como pretende passar a noite feliz de 24 de dezembro? E os presentes? Sempre, na hora de comprar, há o plano de encontrar aquela coisa especial que vai agradar plenamente ao presenteado - mais uma ilusão. De casa em casa, os mimos vão sendo recolhidos em uma grande sacola e, no dia seguinte, ninguém tem a mais vaga idéia do que recebeu de quem. Aliás, presente de Natal é exatamente para isso. Então, qual a solução? E por acaso existe alguma?
Se resolver fazer uma ceia tradicional com direito a árvore e pacotes, será impossível saber com quantas pessoas vai contar. Afi nal, são tantas as famílias, sogras e ex-sogras que terão que ser visitadas que o risco é que cada um passe dez minutos em cada casa (inclusive na sua). E tem maior deprê do que, depois de tanto trabalho - para quase nada -, na hora de ir para a cama ver a sala toda desarrumada, a mesa com as travessas quase intocadas, sabendo que a empregada só virá dois dias depois? Ah, um problema esse tal de Natal. Se você for uma mulher resolvida e não se importar absolutamente com sua reputação diante da família e do péssimo exemplo que vai dar, uma boa idéia é reservar uma passagem para bem longe, embarcando na noite de 24. É claro que todos vão se sentir desamados, achar que você é uma mãe e avó desnaturada e que todas as neuroses da família aconteceram por sua causa. Você detestaria carregar essa culpa pela vida? Então fique, e prepare-se.

________________________________________________


Para Entender os OUTROS
Danuza Leão/ Via  CLAUDIA Colunistas


A partir de hoje aqui no blog vou postar as cronicas e textos de uma mulher interessante e muito experiente que ajuda a mulheres a evoluir, quem é ela?? Danuza Leão tem um coluna na revista CLAUDIA e vários livros publicados, me tornei assinante a pouco tempo da revista e tenho adorado, ela atende a mães, esposas, donas de casa, decoração e se não bastasse isso tudo ainda vem com um caderno sobre culinária que é um arraso para quem quer divulgar os dotes culinários e fazer aquele jantarzinho para os amigos.

Vamos ao Texto de Hoje que já foi publicado a algum tempinho na revista mas como achei ele muito interessante resolvi publicar para vocês, vamos lá leiam com atenção e boa colheita!!


Viver é complicado? É, um pouco. E como tornar a vida mais fácil? Entre outras coisas, aprendendo que todos nós temos um código e, quando passamos a conhecer o nosso, e o dos outros, tudo fica mais suave. Dentro da família podemos ter mãe, pai, dois irmãos, três tias, cinco primas, marido, filhos... É preciso entender o idioma de cada um para não viver num planeta em que cada pessoa fala uma língua diferente. Sabe quando você ouve no telefone a frase “então te ligo; quem sabe a gente vai jantar?”. Pois isso talvez queira dizer várias coisas: pode ser apenas uma desculpa para desligar o telefone, pois o assunto não está interessando; pode ser que a pessoa esteja esperando uma ligação e não queira ocupar a linha; pode ser que tenha começado o telejornal, e mais 300 razões diferentes, algumas inimagináveis. Os horários, por exemplo: um encontro marcado para nove da noite pode significar nove e meia; entre dez e meia e onze; e em alguns casos até nove horas mesmo. Agora, se você conseguir decodificar o idioma da pessoa, não vai se irritar de ficar esperando duas horas, porque já sabe que, quando ela diz nove, está querendo dizer onze, certo? São essas filigranas que desgastam a relação e você deve fazer todos os esforços para evitar que isso aconteça.
Um capítulo sujeito a muitos mal-entendidos é o do amor. Quando um homem diz “eu te amo”, é possível traduzir isso de umas 500 maneiras, só que as mulheres costumam ouvir sempre da mesma. A mais frequente é ele dizer um “eu te amo” e ela ouvir um “quero me casar com você”, sendo que a maior parte das vezes ele diz “eu te amo” querendo dizer “quero transar com você”. Complicado? Nem tanto; apenas uma questão de tradução. Essa declaração de amor pode também querer dizer que ele está te amando profundamente naquele momento, e não que esteja propondo fundar um lar. E dependendo de quantos copos de vinho ele tiver tomado, da luz e da música que estiver tocando, pode até pintar uma proposta de morarem juntos, o que não quer dizer que você deva levar ao pé da letra. E é melhor mesmo que não leve. Mas as mulheres adoram ser pedidas em casamento, e a qualquer sinal de vitória – porque é uma vitória – passam a amarrar a coisa. Costumam começar com um “na sua casa ou na minha?” e, dependendo, mais uma vez, de estarem na segunda ou terceira garrafa de vinho, dali meia hora ela já está falando na decoração, se vão usar o mesmo computador ou se é melhor cada um ter o seu. Quanto a ele – todos sabem que o álcool provoca amnésia, principalmente no homem. Ele sai todo lampeiro, volta para seu adorado espaço, a coisa mais preciosa que acha que tem, e vai ficar surpreso quando telefonar na quarta-feira perguntando “vamos pegar um cineminha?”, e ela atender de mau humor. Se um dia homem e mulher falarem a mesma língua podem começar a se entender. Mas nem todas as coisas têm de ser traduzidas, porque aí pode ficar tudo tão sem graça que o amor desapareça da face da Terra.

Beijos e na próxima Quarta tem mais!!


Beijos,
Polly.

Nenhum comentário:

Share It